Fundamental em um amplo leque de processos industriais, o nitrogênio pode ser produzido de forma mais eficiente e econômica se comparado com as opções existentes no mercado, como a compra do gás dos fornecedores tradicionais.

Capaz de fornecer nitrogênio com pureza a partir de 95% até 99,999%, o GasgeN2 é cerca de 15% mais eficiente que os demais modelos disponíveis no mercado – ou seja, ele consome menos ar comprimido que os similares para gerar a mesma quantidade de nitrogênio.

Essa economia é muito relevante, visto que o custo para a geração do nitrogênio é quase todo representado pela energia elétrica consumida pelo compressor de ar empregado na operação. Assim, o novo gerador contribui também para a melhoria da eficiência energética na indústria.

Tecnologia nacional

Projetado e desenvolvido no Brasil, o GasgeN2 foi um dos destaques da divisão de Filtração da Parker nas últimas feiras de negócios, como Mecânica e Fispal. O sistema opera com base na tecnologia de peneira molecular (PSA, da sigla em inglês para Adsorção por Variação de Pressão).

Dentro do equipamento, que trabalha pressurizado, um material à base de carbono separa o oxigênio do nitrogênio proveniente  do ar comprimido. Esta separação ocorre em função do menor diâmetro da molécula de O2 em relação à do N2. O O2 fica retido na peneira molecular (CMS), liberando assim o N2 como produto do sistema.

“Plug and play”

Assim como os demais geradores de gás da Parker, o GasgeN2 é uma solução completa, preparada para garantir uma instalação rápida e descomplicada. Ele proporciona o suprimento de nitrogênio consistentemente puro no local de consumo, tanto nas operações que demandam fornecimento contínuo quanto naquelas em que este deve ocorrer sob demanda.

Além da tecnologia PSA, a Parker também oferece geradores de nitrogênio por membrana de permeação seletiva, recomendados para aplicações nas quais a pureza do gás exigida é de até 98%.

Fonte – Parker.news Foto – Divulgação Parker